quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Trabalho de Releitura :: Exposição: Hitchcock – Bastidores do suspense



 
Visita Exposição: Hitchcock – Bastidores do suspense
MIS – Museu da Imagem e do Som, Av. Europa 158, SP.
Curadoria: André Sturm
Cenografia: Marko Brajovik


AulasMultimeios REMIX: Trabalho de Releitura

Realizar um trabalho de releitura de uma das instalações cenográficas da Mostra. A releitura pode ser realizada utilizando qualquer linguagem: audiovisual, fotografia, hipermídia, desenho, poesia visual, história em quadrinhos, poesia eletrônica, tipografia cinética, etc. O trabalho pode ser individual ou em grupo de no máximo três pessoas. Data de entrega: 25 de setembro de 2018

O trabalho compreende entrega de texto reflexivo com imagem e/ou endereço do arquivo do trabalho.

O texto deve conter:
a)    Informações gerais, nome do aluno.
b)   Imagens
c)    Texto reflexivo


Segue abaixo modelo do texto reflexivo referente ao trabalho de releitura.




PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO
FACULDADE DE FILOSOFIA, COMUNICAÇÃO, LETRAS E ARTE
CURSO DE COMUNICAÇÃO E MULTIMEIOS

Disciplina: Processos de criação em diferentes mídias: da colagem ao remix
Professor: Lucia Leão

Alunx:
Turma:


TRABALHO DE RELEITURA

1.     Imagem da instalação cenográfica escolhida
2.     Imagem da releitura
3.     Texto reflexivo sobre o trabalho de Releitura
3.1.Descrição pormenorizada do trabalho realizado
3.2.Descrição da instalação cenográfica escolhida, indicando dados gerais do filme de Hitchcock, contexto histórico e sociocultural. Apresentar relações com o trabalho de releitura realizado e outras referências.
3.3.Reflexão geral sobre o processo de releitura, indicando possíveis caminhos de interpretação, símbolos, arquétipos, mitos e narrativas.

terça-feira, 4 de setembro de 2018

Remix, Mash-up


Oli Sorenson


Video Pistoletto
 
http://www.olisorenson.com/art/sps.html



Ref.:

Michelangelo Pistoletto (1933-) 

 



 



Performance realizada na Bienal de Havana, 2015.

terça-feira, 28 de agosto de 2018

Homenagem/Citação/Releitura


Saul Bass (1920-1996)

Minimalismo, cores primárias, recortes, síntese pictórica.

https://youtu.be/qqM3McG4-LE
https://youtu.be/2IoVLB1shwI
 













2013. Doodle animado em homenagem da Google ao 93º aniversário de Saul Bass, designer gráfico, cineasta. Desenvolveu aberturas de filmes inovadoras. Bass é um dos pioneiros na arte da tipografia cinética. Música “Unsquare Dance” de Davi Bubreck.



https://youtu.be/64lDaAmpvSo





"Why man creates", 26 minutos (1968). Saul Bass. 

Documentário animado sobre processos de criação: 8 partes --> The Edifice, Fooling Around, The Process, Judgment, A Parable, Digression, The Search, The Mark.

https://vimeo.com/22113008

http://en.wikipedia.org/wiki/Why_Man_Creates

 
 

 
 





Apropriação/Citação

- Crítica aos sistemas de legitimação da arte
- Problematização do modo de construção cultural das imagens
- Discussão sobre o excesso de imagens nas esferas midiáticas
- Processos de circulação das imagens 
- Roland Barthes (A morte do autor)
- Passagens da cultura Moderna para a Pós Moderna
- Relações entre repetição e diferença (Deleuze)
- Fetichismo da imagem
- Citações nas redes comunicacionais digitais


Sherrie Levine (1941)
- Cópia
- Cópia transformada
- "Quase o mesmo"


Sherrie Levine. Fountain (After Marcel Duchamp: A.P.) (1991)

 


Citações:
Marcel Duchamp: a peça (Urinol)
Constantine Brancusi: criação de séries, uso do bronze

Constantine Brancusi. Birds in Space (1928)





Brancusi, em seus processos de criação, desenvolveu séries com várias versões de suas obras, utilizando materiais diferentes. No entanto, para Brancusi, cada uma de suas obras era única.








Google Doodle em comemoração ao aniversário de 135 anos de Brancusi. 2011


Outros Google Doodles:

primeiro Google Doodle, ref. ao Festival Burning Man (Nevada), 1998. 







 

terça-feira, 21 de agosto de 2018

Détournement

Marcel Duchamp  (1889-1968)


Fountain, 1917 (Détournement de objeto) 





L.H.O.O.Q., 1919 (Détournement de imagem)














Referencias:

Debord, Guy, Wolman, Gil J. “A User’s Guide to Détournement”. Les Lévres Nues. Issue.8 May.1956. http://www.cddc.vt.edu/sionline/presitu/usersguide.html.

 
-->
-->

Arqueologia do remix :: Fotocolagem e Fotomontage






 

Hannah Höch (1889 – 1978)

Introduction to Hannah Höch
Daniel F. Herrmann, Eisler Curator and Head of Curatorial Studies at the Whitechapel Gallery introduces the Hannah Höch exhibition
https://youtu.be/2PrXPpr1Yrg

Ver tbm.:


 
-->

















Raoul Hausmann (1886 - 1971)















Alvin Langdon Coburn (1882 – 1966)
-->





-->

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Da colagem ao remix



PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, COMUNICAÇÃO, LETRAS E ARTE CURSO DE COMUNICAÇÃO E MULTIMEIOS





DISCIPLINA FLEXÍVEL





Disciplina: Processos de criação em diferentes mídias: da colagem ao remix

Professor: Lucia Leão
           

Créditos: 03


           

Horas/Aula: 51 horas



EMENTA:


A proposta da oficina é estimular reflexões e processos de criativos a partir da perspectiva de conceitos como colagem, remix, sampleamento e mash-ups.

O conteúdo inclui: imaginário e mitos nos processos criativos; a migração das narrativas nas diferentes mídias; o conceito de pesquisa como criação; as diferentes fases que compõem os processos criativos; metodologias de criação e desenvolvimento nas mídias. Os objetivos gerais da disciplina são fundamentar o aluno na reflexão e produção criativa em diferentes mídias (orais, impressas, audiovisuais etc.). O método de trabalho da disciplina é composto por aulas expositivas, discussão de textos e seminários sobre processos criativos e desenvolvimento de trabalho criativo nas passagens intersemióticas. A avaliação será processual e compreenderá: atividades em aula, participação em discussões, leituras, exercícios, frequência e pontualidade, apresentação de seminário e trabalho criativo.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA:


LEÃO, Lucia. A arte do remix: uma anarqueologia dos processos de criação em mídias digitais. RUMORES (USP), v. 10, p. 3, 2016. Disponível em: <https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/120924>. Acesso em: 22/2/2018.

MANOVICH, L. What comes after Remix? Disponível em: <http://manovich.net/>. Acesso em: 22/2/2018.

MILLER, P. (org.). Sound unbound: Sampling Digital Music and Culture. Cambridge, MA: The MIT Press, 2008.

NAVAS, E. et al. (org.). The Routledge Companion to Remix Studies. Londres: Routledge, 2014.


BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:


CAMPANELLI, Vito; BARDO, Francesco; HEBER, Nicole. Web aesthetics: how digital media affect culture and society. Rotterdam: NAi Publishers, 2010.

ERNST, M. Qual é o mecanismo da colagem? In: Chipp, H. B. (Org.). Teorias da Arte Moderna. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

LEÃO, L. (org.) Processos do Imaginário. São Paulo: Képos, 2016.

LESSIG, L. Remix: Making Art and Commerce Thrive in the Hybrid Economy. Nova York: The Penguin Press, 2008.

MILLER, P. Rhythm Science. Cambridge, MA: The MIT Press, 2004.




-->